pé quente*

Costumo insistir que muito do que se fala e escreve sobre autoajuda é completamente inútil, não serve para nada. Mas nem tudo. Algumas coisas, além de não trazerem benefícios, ainda causam sérios prejuízos.

Um dos motivos é o fato de você achar que a sua vida vai melhorar só por ter lido um livreco cheio de frases de efeito. Você fica esperando seus problemas se resolverem sozinhos – porque, segundo a autoajuda, basta acreditar – e eles só pioram.

Mas há algumas dicas que ajudam. Ajudam a piorar o cenário bem mais rápido. Veja o caso dos participantes de um seminário de Tony Robbins, no mês passado, em San Jose, Califórnia. Eles chegaram ao evento acompanhados de seus problemas e, horas depois, saíram com queimaduras de segundo e terceiro graus. Além dos problemas que já tinham.

Continue lendo “pé quente*”

Navegar é preciso…

FONTE: Revista SER Espírita
FONTE: Revista SER Espírita

Se você também curtiu a frase ao lado1 no Facebook ou Twitter, então responda depressa:

– o que é uma genoa?
– estibordo é o lado esquerdo ou direito da embarcação?2

Se me derem um barco a vela para comandar, é possível que ele ande para trás, bata no cais e afunde. Talvez aconteça o mesmo com você. Ajustar as velas de um barco é algo que vai além das minhas habilidades.

Continue lendo “Navegar é preciso…”

autoajuda e superstição

Durante competições esportivas é comum vermos atletas, até os de ponta, entregarem-se a superstições, simpatias, mandingas e toda sorte de artifícios que possam trazer-lhes alguma vantagem. Ora é a chuteira abençoada, outra o amuleto escondido.

Até nas arquibancadas – ou principalmente nelas – as crenças se repetem com a camisa do time que nunca é lavada, a cueca abençoada ou o amigo pé-frio sempre enxotado.

O que todos convenientemente esquecem, atletas e torcedores, é que a chuteira da sorte também chuta pênalti para fora, o amuleto já perdeu jogo, a camisa fedida já amargou derrotas (assim como a cueca) e o pé-frio já comemorou vitórias.

Continue lendo “autoajuda e superstição”

tudo dá certo no final?

Uma das frases mais repetidas nos manuais de autoajuda é:

TUDO DÁ CERTO NO FINAL. SE NÃO DEU CERTO,
É PORQUE AINDA NÃO CHEGOU NO FINAL.

A sentença representa um conselho de valor inestimável e de enorme utilidade – desde que você seja imortal.

Continue lendo “tudo dá certo no final?”

indo além da crítica

O autoatrapalha não veio apenas para fazer uma crítica e ir embora, deixando os corpos pelo caminho. Como já disse antes, a autoajuda até tem a sua utilidade, que é reforçar o seu desejo de conseguir algo na vida (se você não quer nada na vida, o que está fazendo aqui?).

O problema deste discurso é que ele não te leva à ação, necessariamente. Via de regra, os livros de autoajuda dizem que você tem tudo para ser um sucesso e que, para isto, basta você acreditar, pensar positivo, adorar o que vê no espelho blá, blá, blá…

Continue lendo “indo além da crítica”

direto do twitter

Todos já percebemos que as redes sociais estão inundadas pela praga da autoajuda. Citamos alguns exemplos do Facebook no último texto e, agora, vejamos o que o Twitter tem a nos eferecer de ruim.

A única vantagem do Twitter em relação ao Facebook é que é mais difícil postar aquelas imagens deprimentes que, via de regra, acompanham os preciosos ensinamentos – isso requer uma habilidade fora do alcance de quem posta frases no Twitter. Além disso, há a limitação dos 140 caracteres, algo realmente instransponível para o QI médio do autor de autoajuda.

Então, para ser justo, também limitarei meus comentários a 140 caracteres e não adicionarei imagem alguma.

Continue lendo “direto do twitter”

facebook: esse prodígio da autoajuda

O Facebook transformou-se num enorme palanque de autoajuda. Pôr-do-sol, arco-íris, crianças brincando e bichinhos fofinhos são os panos de fundo de edificantes mensagens motivacionais.

Vamos dar uma olhadinha em algumas?

Continue lendo “facebook: esse prodígio da autoajuda”

autoajuda corporativa

Recentemente a moda da autoajuda vem migrando da esfera pessoal – onde cada um é responsável por seus atos – para escritórios, salas de reunião e sessões de treinamento corporativo.

Empresas começam, agora, a embarcar na onda da autoajuda corporativa – não importam seus tamanhos, nacionalidades ou ramo de atividade.

A principal porta de entrada deste modismo tem sido, até então, os ditos treinamentos motivacionais. São palestras ministradas, geralmente, por alguma celebridade da moda, tratando de capitalizar uma fama tão súbita quanto efêmera.

Pouco entendem sobre vendas, balanços, marketing, planejamento estratégico ou cadeia de suprimentos. Normalmente sua especialidade é nadar, correr, plantar bananeira ou, ainda, treinar alguém para fazer isso.

Continue lendo “autoajuda corporativa”

regressão à média

Uma das minhas grandes críticas à autoajuda é o fato de os livros fazerem elogios desmedidos ao leitor, sem que o autor jamais tenha visto quem é que compra o livro. Embora estes elogios sejam vazios e desprovidos de qualquer significado, há alguns argumentos em defesa desta prática.

Um deles diz respeito à sua capacidade de motivar as pessoas e fazer com que elas busquem seus objetivos com maior afinco. O tema já foi exaustivamente estudado em alguns dos mais importantes Experimentos em Psicologia* já realizados.

Skinner, por exemplo, explora o reforço positivo (elogios e recompensas) no condicionamento do comportamento.

Continue lendo “regressão à média”

frases de
autoajuda

Se você veio até este blog atrás de uma mensagem de autoajuda, então você encontrou muito mais do que estava procurando. Se tudo correr bem, depois de ler algumas linhas deste blog você nunca mais vai querer ouvir falar em autoajuda.

Este espaço aqui é para você postar as frases de autoajuda que lê por aí. Aquelas baboseiras sem tamanho que prometem fama, fortuna e beleza sem esforço algum.

Escreva aqui as pérolas que você encontrar no Facebook (próóóóódigo nisso!), no Twitter, nos blogs dedicados ao tema e até nos livros que você lê. Se possível, cite a fonte e/ou o autor. Os leitores agradecem, antecipadamente, a sua participação!