dicas para a posteridade

Alguns destes livros de autoajuda se dizem manuais de regras gerais para ser feliz. São como dicas para a posteridade, esquecendo-se de que quem os lê já está lá, na tal posteridade.

São tão úteis quanto um manual da adolescência para quem já passou dos vinte.

Ainda assim, via de regra eles amealham valiosíssimas sugestões como "não fale de boca cheia", "respeite os mais velhos" ou "não coloque o gato do vizinho no microondas".

Trata-se, na verdade, de um apanhado de obviedades e mínimas doses de bom senso que – na boa -se você precisa deste tipo de conselho, então você realmente precisa deste tipo de conselho. Sim, porque você deve ser um ogro subshrekiano.

Um comentário em “dicas para a posteridade”

  1. Hum… vou começar bem chatinha: micro-ondas. Mas vai! Você me ganhou… eu nunca tinha lido desde o início (confesso). Ri muito: “se você precisa deste tipo de conselho, então você realmente precisa deste tipo de conselho”. o/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *