o que é autoatrapalha?

O autoatrapalha foi uma ideia que surgiu no meu outro blog, o Não Posso Evitar…, numa das minhas inúmeras críticas à autoajuda.

A autoajuda é uma doutrina que prega que o nosso destino está em nossas mãos, que o sucesso é uma questão de vontade, que a felicidade reside em você mesmo.

Não discuto nada disso, porque realmente acredito que somos os atores principais de nossas histórias individuais. Enquanto enredo, a autoajuda está perfeita. O problema, meus caros, está nos atores. Em mim e em você.

Quase tudo o que se escreve sobre autoajuda apoia-se na seguinte falácia: você é brilhante e, para ser um sucesso, só falta querer! Isto é:

O que eA autoajuda passa, então, a bater incansavelmente na segunda tecla: você só precisa querer ser um sucesso e todos os seus problemas estarão resolvidos. Como eu disse que não discuto esta parte, até acho que as pessoas devem ler UM livro de autoajuda, para anabolizar sua vontade de querer ser um sucesso.

O passo seguinte, então, é todo mundo virar um sucesso, certo? Eu, você e todo mundo que leu um livro de autoajuda. Mas peraí, nem todo mundo é um sucesso… Então deve ter alguma coisa errada com a equação acima.

Se a segunda premissa é verdadeira (afinal, quem não quer ser um sucesso depois de ler um livro de autoajuda?) e o resultado esperado não aconteceu, então deve ter alguma coisa errada com a primeira premissa.

Exatamente! O problema está aí! Você não é um gênio (e eu também não!)…

Há algumas razões para isso, assim como há, também, muita esperança e ninguém precisa desanimar!

Em primeiro lugar não há motivos para ficar triste agora. Eu também não sou um gênio, porque também quero ser um sucesso, mas não sou. Logo, você tem ao menos a minha companhia.

Depois de ler o seu primeiro livro de autoajuda – e não se transformar num sucesso da noite para o dia – você descobriu duas coisas:

1. Você não é brilhante;
2. Você precisa querer ser um sucesso – e isso você já quer!

Então, a única coisa que você precisa consertar é a primeira. Você precisa ser brilhante e, para isso, só existe uma maneira: RALAR, ESTUDAR!

O grande problema disso é que ninguém quer ralar nem estudar. Todos querem o menor esforço. Querem ser brilhantes – e, consequentemente, um sucesso – sem nenhum trabalho. E os picaretas que escrevem livros de autoajuda prometem exatamente isso: você vai tornar-se um sucesso instantaneamente, sem esforço algum.

Claro, porque querer ser um sucesso não dá trabalho nenhum e é, aliás, uma tendência natural do ser humano. Praticamente uma obrigação.

Aí, o sujeito nada brilhante que lê esse livro prefere acreditar somente na parte que diz que ele vai ser um sucesso sem fazer nada, do que na que diz que ele vai ter que estudar muito e que isso vai dar um trabalho danado – até porque os autores do gênero se esquecem, convenientemente, de contar esta parte.

Pois pode esquecer, porque isto não vai acontecer. Você não vai virar um sucesso só pelo fato de querer ser um. Lamento, mas este é o necessário choque de realidade de que você precisa para sair deste feitiço chamado autoajuda. Você pode ler dezenas de livros contando o mesmo final feliz, mas tenha certeza de que as histórias reais narram exceções a uma regra na qual você se encaixa.

Espero que você não encare o autoatrapalha como uma ideia negativa, derrotista, pessimista. É apenas um alerta para que você entenda o quão distante você está dos seus sonhos – e o que você precisa fazer para realmente alcançá-los.

Pois a tão celebrada autoajuda dos livros e blogs adormece suas ambições, travestindo-as de falsa esperança. Ela te embala com a promessa de um maravilhoso sonho, enquanto você vive uma dura realidade, bem diferente daquela pintada em letras douradas na conta-corrente do autor que te engana. A grande falácia da autoajuda nada mais é, portanto, do que uma grotesca lorota de autoatrapalha.

3 pensamentos em “o que é autoatrapalha?”

  1. menor esforço, maior ilusão

    Escrevi por aqui, em algum lugar, que a autoajuda baseia-se na Lei do Menor Esforço. Você jamais encontrará um título que diga que para ter sucesso no trabalho é preciso ser faixa preta em Estatística e Finanças, ou que para emagrecer deve alimentar-se…

  2. Muito bacana a iniciativa do blog! Realmente há algumas verdades que precisam ser ditas sobre essa enganação toda. Vou indicar para os meus amigos que vivem desta mentira.
    Felicidades, Renata.

  3. “O porteiro do meu prédio vem logo à mente. É porteiro desde que o conheço. Passa 8 horas por dia na sua sala, sentado atrás da mesa. Nunca o peguei lendo um livro. Está sempre assistindo à TV, ou reclamando do governo, do salário, do tempo. É um bom porteiro, mas em todos estes anos poderia ter se desenvolvido e hoje ser muito melhor do que é. Continua porteiro, sabendo (e fazendo) exatamente as mesmas coisas que sabia (e fazia) dez anos atrás.
    Aí reclama que o sindicato não negocia um reajuste maior todos os anos. Nunca consegui fazê-lo entender que as pessoas não merecem ganhar mais só porque o tempo passou. Ou você aprende e melhora, ou merece continuar recebendo exatamente a mesma coisa.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *