dan ariely e a autoajuda

ArielyEm seu mais recente livro, A mais pura verdade sobre a desonestidade (Campus, 2012), Dan Ariely expõe o lado mentiroso de todos nós – embora nos esforcemos um bocado para ocultá-lo.

Para o autor, a desonestidade permeia nossas vidas de uma forma tão onipresente que, basicamente, nem nos damos mais conta dela. Segundo Ariely, somos pródigos em criar lorotas para nós mesmos, para justificar nossas falhas do dia-a-dia e, ainda assim, continuarmos acreditando que somos pessoas boas e honestas.

Lá pelas tantas, Ariely aborda a autoajuda “e seus primos, o excesso de confiança e o otimismo”. Para ele, o auto engano tem seus prós e contras, a saber:

“Nós insistimos em nos enganar, em parte para manter uma autoimagem positiva. Fazemos vista grossa às nossas falhas, douramos nossos sucessos (mesmo quando não são verdadeiramente nossos) e adoramos culpar os outros e as circunstâncias externas quando nossos fracassos são inegáveis.

Por outro lado, na medida em que uma visão exageradamente otimista de nós mesmos pode formar a base de nossas ações, podemos assumir que as coisas darão certo no final e, consequentemente, não tomarmos as melhores decisões.”

Ariely aconselha que, no fim das contas, tenhamos uma postura equilibrada sobre o quanto decidimos nos enganar. Manter uma autoimagem positiva é necessário para melhorar a autoestima e ser otimista em relação aos desafios que enfrentamos. Quando exageramos, no entanto, podemos comprometer nossa capacidade de avaliar a realidade e, desta forma, tomar decisões equivocadas.

 

2 pensamentos em “dan ariely e a autoajuda”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *