As “Leis” da autoajuda

LeisAutores de autoajuda são pródigos em criar “Leis”. São as 7 Leis da Felicidade, as 21 Leis do Universo, as 417 Leis da Vida Serena, as 36.894 Leis da Mandala ou as 644.781 Leis da Água Borbulhante.

Independentemente da quantidade de artigos, cada charlatão vende sua própria contagem de regras, tão vazias quanto incoerentes.

Desconstruir tais mitos nem é um trabalho tão difícil assim, dada a pobreza dos ensinamentos amealhados por escritores um pouco menos infantis que seus leitores.

Comecemos, pois, pela falta de lógica em haver tantas variações: se um conjunto de leis é universal, ampla e exaustiva, não poderia haver, então, um outro conjunto de leis explicando o(s) mesmo(s) fenômeno(s), confere?

Não temos por aí as 5 Leis Universais da Termodinâmica ao lado das 8 Leis Espirituais da Termodinâmica, convivendo com as 11 Leis Cabalísticas da Termodinâmica. Temos As Três Leis da Termodinâmica e pronto! Se uma delas estiver errada, ou se uma outra aparecer, faz-se a correção e a Ciência segue adiante. O mundo segue adiante, aliás.

Uma verdade estabelecida não admite variações ou interpretações, muito embora elas jamais adotem “eternas”, “imutáveis” ou “absolutas” em suas denominações. A ciência admite sua falibilidade, ao contrário dos gurus da autoajuda.

Em seguida vêm as contradições internas: “você recebe aquilo que atrai” é absolutamente incoerente com “o Universo conspira a seu favor”. Ou você é responsável pelo seu destino, ou já está tudo escrito nas entrelinhas da Galáxia.

Este é, inclusive, um dos maiores furos destas correntes de pensamento: elas não sabem como se posicionar frente o livre arbítrio. Não entendem que se o Universo realmente conspira a seu favor, então você não precisa fazer mais nada para se dar bem na vida. Nem ler livros de autoajuda. Afinal, quem pode ser mais poderoso do que o Universo?

Por outro lado, nada mais cretino do que acreditar que seu pensamento atrai tudo o que você deseja. Não conheço miseráveis desgraçados que tenham sonhado com uma condição deplorável. Provavelmente eles lutaram tanto pelo sucesso quanto os ricos e felizes. Alguns, até, lutaram bem mais.

Mas não é assim que o mundo funciona. Há muito mais acaso do que gostaríamos de acreditar. A aleatoriedade tem muito mais impacto na nossa vida do que conseguimos entender. Existem acontecimentos, acidentes, eventos fortuitos e imprevistos – para o bem e para o mal – que vão além da nossa compreensão. E isso é mais forte e onipresente do que qualquer lei boboca consegue capturar. Viva com isso e esqueça o resto.

1 pensamento em “As “Leis” da autoajuda”

  1. Olá, Rodolfo. Meus cumprimentos novamente. Apenas uma observação: “…acidentes, eventos fortuitos e imprevistos – para o bem e par o mal – que vão além da nossa compreensão.” Acho que não. Nossa compreensão desses eventos apenas está contaminada por crenças, falsos conceitos e superstições. Afaste-se tudo isso e podemos perceber que estão além, isto sim, de nosso controle. No mais, irretocável. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *